segunda-feira, 28 de março de 2016

Subsídio de vereador de Monte Azul Paulista deverá ser de R$ 3,8 mil

Após ignorar, não aprovando, o Projeto de Iniciativa Popular proposto por eleitores que fixavam os valores dos subsídios dos políticos eleitos para o próximo quadriênio, em fevereiro, a Câmara de Vereadores de Monte Azul Paulista, composta por 11 membros, voltou a se reunir em sessão ordinária na última segunda-feira, dia 21 de março, para, além da pauta normal dos trabalhos, com indicações e requerimentos, apreciar quatro projetos de autoria da Mesa Diretoria da Casa de Leis tratando exatamente sobre a fixação dos subsídios dos vereadores, prefeito, vice e secretários para o quatriênio 2017/2020, desta vez sem nenhuma discussão ou reunião com representantes da sociedade, como sindicatos, entidades ou mesmo outros políticos.
As matérias desta sessão foram despachadas para as Comissões de Constituição, Justiça, Redação e Finanças e Orçamentos da Câmara, compostas pelos próprios vereadores, para um parecer final nas próximas sessões. O Projeto de Resolução n° 002/17 dispõe sobre a fixação do subsídio dos vereadores para a 17ª Legislatura (2017/2020) em R$ 3.800,00 observando as normas e os dispositivos da Constituição Federal e Lei Complementar n° 101/2000, da Lei de Responsabilidade Fiscal. Já o subsídio mensal do presidente da Casa de Leis deverá ser fixado em R$ 5.000,00 em virtude do exercício do cargo. O artigo 2° deste Projeto prevê ainda, a título de recuperação salarial, sempre no mês de fevereiro, uma revisão geral anual de índices de reajustes, observando a inflação do período através de normas específicas, desde que haja disponibilidade orçamentária e financeira. Já o Projeto de Lei n° 720/16 fixa o subsídio do prefeito municipal em R$ 15.934,50 também com o mesmo teor de reajuste salarial.
TRABALHO
Já o vice-prefeito terá que ocupar uma secretaria para poder receber o subsídio fixado pelo Projeto de Lei n° 721/16 em R$ 4.729,36. A nomeação deverá ser feita pelo prefeito para que o vice ocupe o cargo que melhor atenda as necessidades da administração pública. O Projeto de Lei n° 721/16 fixa o subsídio de secretários municipais também em R$ 4.729,36, ambos com o mesmo teor de reajustes, a título de recuperação salarial, caso haja disponibilidade financeira. 
ANTERIOR
O Projeto de Iniciativa Popular, amplamente divulgado pelas mídias, foi chancelado por mais de 1200 pessoas, bem acima do número necessário para entrar como Projeto na Câmara Municipal. Ele fixava o salário de um vereador de acordo com o que um professor da rede municipal de ensino recebia por 44 horas trabalhadas, sendo o valor à época de cerca de R$ 1900,00, portanto, metade do que os vereadores querem aprovar atualmente. O objetivo era a valorização dos professores e mostrar que os vereadores nunca trabalham 44 horas semanais. Já os salários do prefeito e do vice eram baseados também no salário dos professores e previam que o vice só receberia caso trabalhasse como secretário ou substituto do prefeito, o que o atual projeto corrobora. Quanto aos secretários municipais, não havia nada no Projeto de Iniciativa Popular, que era, segundo o movimento que o criou, apenas um início de tentativa de mudanças, que seriam futuramente também propostas em relação às secretarias e demais cargos de confiança da Prefeitura. (Da Redação)


Os 11 vereadores de Monte Azul Paulista, tendo ao centro o presidente da Câmara.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Monte-azulenses querem reduzir salários de vereadores

Nos últimos meses muito se tem falado sobre os políticos brasileiros, e o que mais se fala é sobre o que eles recebem em subvenções. Em muitos municípios estão tendo manifestações pela redução do salário dos políticos locais. E as Câmaras municipais estão ficando agitadas com o tema. Em Monte Azul Paulista finalmente algumas pessoas estão tentando se mobilizar para mudar essa situação, e a internet mais uma vez se mostra como uma importante ferramenta de mobilização social e, por que não dizer, política.
Atualmente, um vereador ganha R$ 5.243,00 (bruto) em Monte Azul Paulista, e até outubro eles devem decidir qual será o valor do salário dos novos vereadores, que serão eleitos em 2016, com mandato a partir de 2017. O salário líquido, ou seja, já descontados os impostos, é de aproximadamente R$ 4,8 mil.
Uma importante figura pública do município já falava sobre isso há muito tempo, desde que veio para Monte Azul Paulista assumir a Paróquia Senhor Bom Jesus, em 2008, o padre Sebastião Ricardo Vicente. Neste mês de setembro, ele resolveu alertar a população sobre a possibilidade de mudar essa situação, que ele sempre achou um absurdo, e também devido aos prazos para que isso seja realizado. Assim, ao final das missas ele pede que a população se mobilize e discuta se realmente é necessário que um vereador tenha um salário tão alto numa cidade tão pequena e cheia de problemas para serem resolvidos. Ele também questionou os cargos (não concursados) de confiança, os salários do prefeito e vice e o número de vereadores na Câmara. Ele perguntou: "Para que 11 vereadores, e não apenas 7?".
Existe um número mínimo e um número máximo de vereadores, de acordo com o número de eleitores. Monte Azul Paulista pode ter entre 7 e 11 vereadores.

TRIBUNA
O monte-azulense Rodolfo Martinho solicitou, através de ofício, o uso da Tribuna Popular na Câmara de Vereadores na próxima sessão ordinária, dia 21 de setembro. Martinho disse que se inteirou de assuntos como a redução de salários de vereadores e o número de cadeiras no Legislativo pelas redes sociais e que, como cidadão, tem o direito de opinar a respeito. Como a Casa de Leis abre este espaço para o uso popular da tribuna, se sentiu no dever de poder expor sua opinião. “Sou contra o número de vereadores na cidade, hoje em 11 cadeiras, e também pelos salários pagos aos parlamentares, que se reúnem duas vezes por mês para receberem quase 5 mil reais, permitindo assim uma atividade extra para eles. Não é justo. Espero que aconteça aqui em Monte Azul um manifesto popular em relação ao que vem acontecendo em todo o país quanto à redução dos salários dos vereadores, espero que a população se manifeste neste sentido”, disse Martinho. 
A mesa diretora da Câmara Municipal analisa todos os pedidos de uso da tribuna, podendo ou não liberá-la para a manifestação popular. A segunda sessão ordinária de setembro começa às 20 horas.

HISTÓRIA
Até janeiro de 1977, com o prefeito sendo José Oscar Arroyo, vereadores não recebiam salário em Monte Azul Paulista, assim como a maioria dos municípios brasileiros. A partir de então os salários passaram a existir, sendo aumentados exponencialmente, especialmente após serem vinculados aos salários dos deputados na maioria das Câmaras Municipais do país.
VEREADORES
Alguns dos atuais vereadores defendem o salário que recebem por considerarem justo devido a tantos problemas que resolvem, especialmente em relação a leis, decretos e outros pedidos, além das inúmeras viagens que precisam fazer para conseguir ajuda para o município.
Além dos salários, os vereadores de Monte Azul Paulista tem alguns assessores, secretária e outros funcionários que ajudam durante o mandato. Até pouco tempo atrás, tinham também assessores não concursados, que a Promotoria Pública questionou, e acabaram por eliminar estes cargos. Atualmente, todos os funcionários são concursados, mas tem também estagiários com tempo determinado. (Da Redação)

Postagem sendo compartilhada em páginas de monte-azulenses.


domingo, 5 de julho de 2015

FOTOS DO DESFILE COM DRONE

Nosso leitor Pedro Batistela enviou diversas fotos que tirou com seu drone no dia do desfile de aniversário de 119 anos de Monte Azul Paulista, realizado no domingo, dia 28 de junho de 2015, na rua São Pedro, com destino à praça Rio Branco, onde autoridades e público estavam aguardando.
Belas fotos, e reproduzimos aqui uma seleção delas.
Agradecemos ao Pedrinho, que vem a ser filho do saudoso Hermes Batistela, autor de diversos registros cinematográficos antigos de nossa cidade.
Esperamos que mais fotos e filmagens sejam feitas e, assim, nossa História continue sendo preservada e divulgada. Muito obrigado!











segunda-feira, 4 de maio de 2015

Monte Azul Paulista e suas Primeiras Damas


No dia 2 de maio de 2015, na Casa da Cultura Fábio Zucchi Rodas, em Monte Azul Paulista, SP, as primeiras damas que fazem parte da História da cidade receberam uma bonita homenagem na reinauguração da Galeria das Primeiras Damas, que tem o nome de Otacília Patrício Arroyo.
A galeria foi elaborada pelo ex-prefeito Jackson Plaza, sendo uma criação de sua esposa, a primeira dama Valéria Fonzar Plaza, e seu então secretário da Cultura, Marcelo Moraes.
O atual prefeito, Paulo Sérgio David, resolveu revigorar a galeria, com novas fotos e novos dados sobre o principal cargo de nosso município. Segundo o atual responsável pela Casa da Cultura, Pedro Terra Junior, alguns dados mereceram mais atenção, pois foram atualizados com a ajuda do historiador monte-azulense João Francisco Massoneto, além de nosso jornal A Comarca e diversos contatos com amigos e familiares das pessoas envolvidas. Foram conseguidas novas fotos para homenagens. Além disso, a galeria havia sido praticamente desmanchada devido às mudanças ocorridas no local em que estavam e às diversas exposições que eram realizadas. Agora, ela ficará à disposição da população para consultas e preservação de nossa memória.
O evento contou com a participação de uma banda marcial de Bebedouro, que tocou vigorosamente os hinos Nacional e de Monte Azul Paulista, e dos jovens músicos da Jazz Brasil (foto), que fizeram um concerto excepcional, valorizando o que aprendem naquela escola de música. Depois, os convidados foram agraciados com discursos, flores e coquetel.
Sem dúvida, devemos destacar o trabalho de todos os envolvidos, especialmente os funcionários da Casa da Cultura Fábio Zucchi Rodas, que conseguiram atualizar brilhantemente a galeria e fazer uma homenagem bonita e emocionante para os convidados. Vejam abaixo algumas fotos do evento e os dados sobre os prefeitos e primeiras damas do município.

O quadro com a foto de Fábio Zucchi Rodas, que dá nome à Casa da Cultura.

O quadro com as primeiras damas do início de nossa História. Ainda não conseguiram fotos.
Acima, Jovita Osório Franco e Carmelina Rezende Guimarães Reiff.
Abaixo, Josephina Wohnrath de Assis Pinto e Palmira Barbeiro Hernandes. 
Acima, Dulce Veiga Bastos e Otacília Patrício Arroyo.
Abaixo, Catarina Agudo Carminatti e Luiza Sales Goulart de Faria.
Acima, Valda de Almeida Borges e Marlene Maria Matta Blanco.
Abaixo, Neide Thereza Agudo Arroyo e Maria de Lurdes Bolzan Fioreze. 
Acima, o espaço reservado a Valéria Fonzar Plaza (que não quis participar da homenagem) e Maria Cacilda Cester Arroyo.
Abaixo, a atual primeira dama, Eunice Martins de Oliveira David, e a placa marcando o evento.
Eis as primeiras damas de Monte Azul Paulista, e seus respectivos maridos prefeitos, segundo a Casa da Cultura Fábio Zucchi Rodas:

- Maria Tereza Alves - prefeito: João Crisóstomo Filho (1915 a 1916);
- Francisca de Lima Marinho - prefeito: Phrygio Alves Marinho (1917 a 1922);
- Jovita Osório Franco - prefeito: José Euphrosino Osório (15/01/1922 a 1929);
- Carmelina Rezende Guimarães Reiff - prefeito: Theophilo Reiff (1930 a 1932);
- Desconhecida - prefeito: Eduardo de Souza (1932 a 1933);
- Josephina Wohnrath de Assis Pinto - prefeito: Hildebrando de Assis Pinto (07/1933 a 10/1933);
- Concetta Severino Brito - prefeito: Sebastião Lima Brito (1934 - 1936 a 1942);
- Philomena Oliva de Almeida - prefeito: Sebastião Pinto de Almeida (1935);
- Valentina Hernandes Montenegro - prefeito: Marcos Osório Montenegro (1942);
- Palmira Barbeiro Hernandes - prefeito: Vicente Hernandes (1943 a 03/1947);
- Dulce Veiga Bastos - prefeito: Urbano Dias Bastos (05/1947 a 12/1947);
- Otacília Patrício Arroyo - prefeito: Julião Arroyo (1948 a 1951 e 1956 a 1959);
- Catarina Agudo Carminatti - prefeito: Antônio Carminatti (1952 a 1955);
- Luiza Sales Goulart de Faria - prefeito: Sylvio Goulart de Faria Filho (1960 a 1963);
- Valda de Almeida Borges - prefeito: Almiro Lima Borges (1964 a 1968, 1983 a 1988 e 1993 a 1996);
- Marlene Maria Matta Blanco - prefeito: Francisco de Assis Livólis Blanco (1969 a 1972, 1989 a 1992 e 1997 a 2000);
- Neide Thereza Agudo Arroyo - prefeito: José Oscar Arroyo (1973 a 1976);
- Maria de Lurdes Bolzan Fioreze - prefeito: Hygino Fioreze (1977 a 1982);
- Valéria Aparecida Fonzar Plaza - prefeito: Jackson Plaza (2001 a 2004 e 2005 a 2008);
- Maria Cacilda Cester Arroyo - prefeito: Claudio Gilberto Patrício Arroyo (2009 a 2012);
- Eunice Martins de Oliveira David - prefeito: Paulo Sérgio David (2013 a 2016).

Algumas fotos tiradas no evento:




O prefeito Paulo David com o simpático casal Heraldo e Heloísa Reiff, residentes em Bebedouro.
Ambos são netos de dois prefeitos de nossa cidade, com suas avós ao fundo.
O ex-prefeito (por 3 vezes) Francisco de Assis Livólis Blanco e sua filha Débora, tendo ao fundo a foto da primeira dama D. Marlene Matta Blanco.
A atual primeira dama, Eunice Martins de Oliveira David, com a ex-primeira dama Neide Thereza Agudo Arroyo, tendo ao lado Wanda Arroyo Lima, filha de Otacília Patrício Arroyo (no quadro ao fundo) e o prefeito Paulo Sérgio David.
Edméa Wohnrath Pizarro, sobrinha da ex-primeira dama Josephina Wohnrath de Assis Pinto (no quadro).




P.S.: Caso alguém saiba de fotos referentes às primeiras damas do início do século XX não retratadas na galeria, pedimos a gentileza de entrar em contato com a Prefeitura Municipal de Monte Azul Paulista.